17 de jul de 2012

Santa Sara Kali

No mês maio comemoramos o dia de Santa Sara Kali, a santa protetora do povo cigano e provedora de sorte, amor, saúde, fartura e prosperidade e vida.
O que poucos sabem e que Santa Sara é também protetora das mulheres que não conseguem engravidar, dos desesperados, dos ofendidos e dos desamparados.
Santa Sara foi canonizada em 1712 pela igreja católica, mas até hoje omite seu culto. O termo Kali significa "a negra", porque sua pele era escura. Seu culto está ligado ao culto das Madonas Negras e os festejos da santa ocorrem no dia 24 de maio com procissão e banhos no mar.
A imagem de Santa Sara é vestida de azul, rosa, branco e dourado. São colocados na imagem adorno de flores, jóias e lenços coloridos para que ela seja levada para a procissão no mar.
Os devotos buscam a obtenção das graças nos olhos da santa, pois nos olhos de Santa Sara tudo está contido: a força de Deus, a força da mãe, a força do amor da irmã e da mulher, a força das mãos, a energia, o sorriso, a magia do toque e a paz. E assim, todos que buscam graças no seu olhar, retornam sempre aos pés de Santa Sara para agradecer.
 
Protegidos
 
Santa Sara Kali protege as mulheres quem estão com dificuldades para engravidar. Muitas Ciganas  que não conseguiam ter filhos faziam promessas a ela, no sentido de que se engravidassem. Se isso de fato ocorresse, as gestantes iriam à cripta da Santa, em Saintes Maries de La Mer no sul da França, fariam uma noite de vigília e depositariam em seus pés como oferenda um diklô (um lenço cigano), o mais bonito que encontrassem. Neste local existem milhares de lenços, como prova de que muitas ciganas receberam esta graça.
 

Há muitas lendas sobre Santa. Algumas falam que ela era serva e parteira de Maria e que foi ela que trouxe Jesus ao mundo. Outra lenda diz que ela era serva de Maria Madalena.
A lenda mais comum conta que Maria Madalena, Maria Jacobina, Maria Salomé, José de Arimatéia e Trofino, junto com Sara, uma serva, foram atirados ao mar, numa barca sem remos e sem provisões.
Desesperadas, as três Marias puseram-se a orar e a chorar. Neste momento Sara retira o diklô (lenço) da cabeça, chama por Jesus Cristo e promete que se todos se salvassem ela seria escrava de Jesus e jamais andaria com a cabeça descoberta em sinal de respeito. Milagrosamente, a barca sem rumo e à mercê de todas as intempéries, atravessou o oceano e aportou com todos salvos em Saintes-Maries-de-La-Mer. Sara cumpriu a promessa até o final dos seus dias.
Hoje, as pessoas fazem todo tipo de pedido para Santa Sara, pois ela possui a fama de atender todos os que tem verdadeira fé.
Santa Sara é a santa dos desesperados, dos ofendidos e dos desamparados.
Abaixo destaco duas Orações para fazer a Santa Sara Kali no dia dela ou em qualquer momento que necessitar de sua ajuda.
   
Oração de Santa Sara Kali
 
Santa Sara, minha protetora, cubra-me com seu manto celestial. 
Afaste as negatividades que porventura estejam querendo me atingir. 
Santa Sara, protetora dos ciganos, sempre que estivermos nas estradas do mundo, proteja-nos e ilumine nossas caminhadas. Santa Sara, pela força das águas, pela força da Mãe-Natureza, esteja sempre ao nosso lado com seus mistérios. 
Nós, filhos dos ventos, das estrelas, da Lua cheia e do Pai, só pedimos a sua proteção contra os inimigos. Santa Sara, ilumine nossas vidas com seu poder celestial, para que tenhamos um presente e um futuro tão brilhantes, como são os brilhos dos cristais. Santa Sara, ajude os necessitados; dê luz para os que vivem na escuridão, saúde para os que estão enfermos, arrependimento para os culpados e paz para os intranquilos. Santa Sara, que o seu raio de paz, de saúde e de amor possa entrar em cada lar, neste momento. Santa Sara, dê esperança de dias melhores para essa humanidade tão sofrida. Santa Sara milagrosa, protetora do povo cigano, abençoe a todos nós, que somos filhos do mesmo Deus.
  
Oração de Santa Sara Kali
 
Farol do meu caminho! Facho de Luz! Paz! Manto Protetor! Suave conforto. Amor! Hino de Alegria! Abertura dos meus caminhos! Harmonia! Livra-me dos cortes. Afasta-me das perdas. Dai-me a sorte! Faz da minha vida um hino de alegria, e aos seus pés me coloco, minha Sara, minha Virgem Cigana. Toma-me como oferenda e me faz de flor profana o mais puro lírio que orna e traz bons presságios à Tenda. Salve! Salve! Salve!

Que Santa Sara nos cubra com seu manto de amor e paz ! 

12 de jul de 2012

O Povo Cigano





Quem terá, pela primeira vez, chamado um cigano por este nome? E, no que se inspirou para dar-lhe o nome de cigano no sentido de querer identificar-lhe a raça e a origem?

A palavra cigano não existe no idioma romani. E em definitivo, no Congresso Mundial que reuniu centenas e centenas de ciganos de todas as partes do mundo, acontecido em Roma, em 1971, ficou estabelecido que este povo nômade, de pele morena, deveria ser chamado de Rom, que em romani quer dizer homem. As mulheres, são romís e o plural de rom é romá. Portanto, os romá não querem ser ciganos, mas aceitam ser identificados como ciganos, na maioria dos casos. Mesmo porque aqui no Brasil nunca se teve registro de uma perseguição que se igualasse a dos reis católicos Isabel e Fernando de Espanha, ou de Franco e Hitler. Com todos os problemas brasileiros, aqui os romá tem um território mais livre e são melhores aceitos. Hoje em dia ser rom/romí é poder viver nas estradas ou nos apartamentos e continuar preservando a tradição.

Portanto, os nomes ciganos - gitanos - tsiganes-zíngare são apelidos para os romá ou romanís, dados pelos não ciganos, principalmente no Velho Mundo Euro-asiático. E chamá-los de povo rom, manush ou povo romani é a denominação correta. Ambos os vocábulos são de origem sânscrita e, significam respectivamente homem ou pessoa, sendo que o nome Rom é mais comumente atribuído ao cigano de origem oriental, mais tradicionalista; e o nome Manush é a denominação mais comum aos que estão fixados na França, com hábitos mais ocidentais e também são conhecidos como Sinti. É assim que aceitam ser identificados.

Para os ciganos, todos os estranhos à sua raça são chamados de busné, payo ou gadjé, que em romani quer dizer literalmente aquele que não é cigano. Notamos que a denominação gadjé é a mais utilizada, principalmente nos países da Espanha, França, Itália, Portugal, Brasil e demais países de língua portuguesa.

No entanto, os gadjé, busné ou payos deram aos Ciganos muitos nomes diferentes. A principal delas - Cigano e suas traduções mais conhecidas - teria derivado do nome Atsinnganni , uma palavra grega para designar o praticante de uma seita mística, originária da Ásia Menor. Assim que tais praticantes começaram a aparecer no Império Bizantino, foram chamados de Atsinnganni, que na verdade quer dizer praticante de magia, mago ou bruxo. Diante do modo de vida e das tradições dos ciganos, foi fácil relacioná-los com este outro povo, também devido às práticas místicas pouco comuns, exercidas pelos ciganos e passadas de geração em geração.

Da palavra Atsinnganni, gadjés de vários países europeus, retiraram os diversos nomes que deram aos Ciganos. É claro que, nestes países, os Ciganos tiveram uma presença mais marcante e prolongada que nos demais: Egito, Grécia e Romênia e países dos Balcãs.

O pesquisador Olimpio Nunes, de Portugal, destacou em seu trabalho O Povo Cigano muitos dos nomes que se seguem. Podemos então comprovar a existência do radical do nome Atsinnganni, bem como sílabas transformadas pela acomodação lingüística no primeiro grupo de nomes:

Atsincani - Grécia

Tchinganie/Tchinghiani - Turquia

Tzigani - Bulgária

Zigani - Romênia

Ciganiok/Czygany - Hungria

Zingari - Itália

Cigano - Portugal/Brasil Cigan - Bulgária

Ciganin - Sérvia

Cygan - Polônia

Cykan - Rússia

Czygany - Hungria

Cigano - Lituânia

Zigeuner - Alemanha e Holanda

Zuygener - Alsácia

Zigeuner - Suíssa e Alemanha

Cingan - França (anteriormente)

Tsigane/Gitanes/Bohemies - França

Zingano - Italiano

Ciganus - Latim medieval

2º Egitanos - Gitanos - Espanha

Egiptoi - Grécia

Eugit - Albânia

Gitanes - França

Giptenaers - Holanda

Gypsies - Índia, Reino Unido

Mustalaiset ou Romaanii - Finlândia e Suécia

Observe os dois grupo anteriores. No primeiro, os nomes para a raça cigana vem de atsincani, cujo radical, sofreu sofreu algumas alterações que resultaram no nome cigano ou outros com o mesmo radical. No segundo grupo predominam os nomes que derivam de gipsy, cujo radical deu origem ao nome gitano e seus similares.

Mas freqüentemente, os Ciganos são confundidos com outros nômades com modo de vida semelhante no que se refere à maneira de se apresentar e morar, mas tratam-se apenas de grupos de pessoas sem qualquer referencial moral e ético, o que não é o caso dos Ciganos, que para se preservarem culturalmente, preferem estar com os seus, com que se relacionam sob a égide de um código moral e ético bastante rigoroso para os gadjés.

No entanto, os Ciganos também são comparados nos países europeus, a outros grupos nômades. Principalmente nos países em que a presença de estrangeiros é muito pouco tolerada. Por isso mesmo são identificados por nomes de outros nacionais, também repudiados em tais países:

Ismaelitas - Hungria e Romênia

Filistins - Polônia

Tártaros - Alemanha

Assírios e Etiópios - Inglaterra

Romanichels - França

Manouches - França

Húngaros - Espanha, Itália, Portugal e Brasil (anteriormente)

Errants - Países Árabes

De todas as denominações citadas acima, lidaremos com Cigano, que é a mais popular e mais comum às línguas neolatinas.

Dois grandes grupos ciganos formam a raça: os Rom (incluindo nesta denominação também os Sinti) e os Calé. O grupo Rom se subdivide em diversos subgrupos e clãs, identificados pela atividade profissional exercida. Distinguem-se entre si por particularidades pouco significativas, no que diz respeito a seus costumes ou aspectos de alguns rituais familiares, mas falam a mesma língua, porém com dialetos distintos.

Cigana Zoraide


                                          


O Grupo de Ciganos ( Zingras )  chegou a Casablanca.
Zaida e Zoraide foram logo para a cidade e lá encontraram pessoas de todas as raças e credos.
Um moço árabe muito curioso, chegou perto de Zaida e Zoraide, ficou observando as recém chegadas  às recém-chegadas.
Zaida não ligou, mas Zoraide, atrevidamente, perguntou-lhe:
- Nunca viu uma cigana?
O moço disse: - Já vi muitas, mas não tão bonitas como você.
Zoraide, mais atrevidamente, respondeu:
- Não é para os seus olhos, árabe.
O moço, então, disse:
- Você vai sofrer muito na vida, pois no seu coração só existe rancor. Por dentro, você é feia. – E afastou-se.
Zaida e Zoraide foram para o acampamento, pois iriam no outro dia para Rabat.
De manhã, levantaram acampamento.
A caminhada foi difícil.
A caravana de cameleiros passavam  pelos rochedos onde terríveis ventos sopravam, embora o céu estivesse azul.
Foi difícil, mas chegaram a Rabat.
Diferente de todos os demais, o mercado oferecia aos compradores  lãs e tapetes.
Esse mercado ficava num pátio cercado de paredes recobertas de vegetação, com muitas flores e trepadeiras.
Lá se viam mercadores que decantavam anunciando suas mercadorias.
Zaida e Zoraide ficaram deslumbradas com todas as coisas.
Não foi muito difícil misturar-se ao povo, pois as mulheres envergavam o clássico traje árabe, com uma única túnica longa até os pés, a cabeça coberta e o rosto escondido por um véu.
Lá, Zoraide conheceu Mustafá.
Logo se interessou por ele e ele por ela.
Zoraide era muito interesseira e logo se aproveitou dele, pedindo presentes assim que começou o romance entre os dois.
Zaida não gostou muito: sabia que sua filha não ficaria com ninguém, pois seu coração era muito ruim e ela só iria brincar com aquele moço, mas Zaida não podia fazer nada.
Zoraide largou o acampamento e seguiu com o moço para Fedala, uma cidadezinha costeira entre Casablanca e Rabat.
Com o passar do tempo, entretanto, Zoraide viu que Mustafá não iria dar-lhe mais presentes, pois não tinha mais dinheiro.
Como era interesseira, largou Mustafá e voltou para Rabat.
Lá chegando, começou um romance com o vendedor de tapetes do mercado.
Mustafá não se conformou e foi à procura de Zoraide.
Em Rabat, estava acampado um grupo de ciganos, o grupo de Zingra que Zoraide abandonou.
Zaida foi ao encontro da filha, pois tinha tido um aviso de que Zoraide iria sofrer algo de ruim, mas que ela não poderia evitar, já que Zoraide era muito leviana e iria pagar essa conduta com a vida.
Neste mesmo instante, Mustafá chegou a Rabat.
Logo encontrou Zoraide, pegou-lhe pelo braço e disse:
- Cigana, você é minha.
Zoraide disse:
- Não sou de ninguém, sou livre como os pássaros.
Não tenho culpa de ser tão bela.
Não te quero mais, vai embora da minha vida.
Mustafá disse:
- Cigana, então iremos morrer juntos.
Pegou um punhal e concretizou o que dissera.
Zaida chegou tarde demais.
Abraçou o corpo da filha e disse:
- Sabia que esse era o seu fim.
Não se brinca com os sentimentos dos outros.
Zaida levou o corpo de sua filha para o acampamento.
Lá chegando, fizeram uma grande fogueira e queimaram o corpo de Zoraide.
O Rei Juan soprou as cinzas na relva e disse:
- Espírito de Zoraide, que seja purificado para vir à terra ajudar as pessoas com muito carinho e amor.
Por isso, que a cigana Zoraide hoje vem nas auras com muita doçura e meiguice.
Essa cigana é quem transmite paz, amor e carinho àqueles que a procuram, pois o seu espírito foi purificado de todas as coisas ruins que fez na Terra.
Vem para ensinar o que é o Amor ! 

9 de jul de 2012

Santa Sara Kali




Santa Sara Kali  é padroeira  dos roma  (ciganos).

O seu nome, tal como o de Sara  no Antigo Testamento , pode ser um nome hebraico que indica uma mulher de alta sociedade, que algumas vezes é traduzido como “princesa” e outras “senhora”. Já o epíteto Kali deve significar "negra", da língua indiana sânscrito , pela sua tez ser escura. Seu culto se liga ao das Virgens Negras.
As lendas a identificam como a serva de uma das três mulheres de nome Maria que estavam presentes à crucificação de Jesus .
Algumas falam que ela seria serva e parteira auxiliar de Maria , e que Jesus, por esta te-lo trazido ao mundo, teria uma alta estima por ela. Outras, que era serva de Maria Madalena. Seu centro de culto é a cidade de Saintes Maries de-la-Mear, na França  onde ela teria chegado junto com Maria Jacobina , irmã de Maria  mãe de Jesus,Maria Salomé , mãe dos apóstolos Tiago  e João , Maria Madalena ; Marta , Lázaro  e Maxíminio .
 Eles teriam sido jogados no mar em um barco sem remos nem provisões, e Sara teria rezado e prometido que se chegassem a salvo em algum lugar ela passaria o resto de seus dias com a cabeça coberta por um lenço. Eles depois disso chegaram a Saintes-Maries, onde algumas lendas dizem, foram amparadas por um grupo de ciganos.
A imagem de Santa Sara fica na cripta da igreja de Saint Michel , onde estariam depositados seus ossos.
Fontes variam: se sua canonização consta de 1712, ou se é uma santa regional. Sua festa é celebrada nos dias 24 e 25 de maio, reunindo ciganos de todo o mundo.
Sua imagem é coberta de lenços, sendo ela uma protetora da maternidade. Mulheres (romi) que não conseguem engravidar e mulheres que pedem por um bom parto, ao terem seus pedidos atendidos, depositam aos seus pés um lenço (diklô). Centenas de lenços se acumulam aos seus pés.
As pessoas fazem todo tipo de pedido para Santa Sara, por sua fama de atender todos os que depositam verdadeira fé nela. Santa Sara é a santa dos desesperados, dos ofendidos e dos desamparados.

Outras teorias 

" Alguns autores, por exemplo  baseando-se em outras obras sugerem que Sara seria, na verdade, filha de Jesus Cristo  e Maria Madalena..."

 

5 de jul de 2012

Pedido de prosperidade


                                     




Um prato de papelão; se tiver dourado serve .
Um melão grande;
Açúcar cristal;
Um molho de hortelã miúda;
Rosas amarelas
Um pedaço de papel virgem com seu pedido escrito;
Uma vela amarela

 Lua Cheia ou Lua Crescente, 

Pegue o melão e corte-o ao meio sem remover as sementes. Ponha seu pedido dentro, encha com o açúcar cristal e tampe.
Coloque o melão no prato de papelão e espalhe a hortelã e as rosas em volta.
Leve a um gramado, que seja limpo e bonito.
Coloque o prato, acenda a vela e ofereça aos ciganos , em voz alta.
Para que lhe ajude a prosperar !

Meu Povo...



povo-cigano-4.jpg





 As  Ciganas,  Carmencita,  Sarah e Wladimira , um muito Obrigada, por confiarem em mim, sobre as magias... 
Obrigada Carmencita , espero que o povo cigano, esteja sempre ao meu lado me ajudando e me ensinando cada vez mais. 

Que eu possa ajudar todos aqueles que vierem a minha procura.

Que o Povo Cigano do Oriente possa estar presente na vida , e na vida de cada um , ajudando a todos , cada um de sua maneira, seja no Amor , seja em uma Cura, ou até mesmo uma palavra de amor e de carinho.... 

Obrigada Sempre meu povo !